SETEMBRO AMARELO: UM ALERTA PARA A VIDA

O Setembro Amarelo é o mês de prevenção do suicídio. Essa campanha, que ocorre todos os anos, pretende promover a reflexão coletiva sobre essa difícil situação, que atinge silenciosamente tantos entre nós e, em especial durante esse momento de pandemia e reclusão.

Setembro é o mês de falar sobre o que ninguém gosta de falar, mas que a todos inquieta. Em uma breve estimativa, os números são alarmantes: cerca de 800 mil pessoas morrem por suicídio todos os anos. A projeção para este ano de 2020 é que mais de um milhão e meio de pessoas cometam suicídio e que o número de tentativas seja até vinte vezes maior do que o número de mortes. Portanto, não apenas os suicídios, mas as tentativas de suicídios são sinais dessa grande dor coletiva.

Setembro é uma oportunidade para compreendermos a importância de falar abertamente sobre este tema e sobre a morte. Falar de pensamentos e desejos de morte e de suicídio é falar sobre nossa dor e nosso sofrimento quando eles se tornam tão intensos que não conseguimos vislumbrar saídas para esse sentimento tão peculiar de solidão e de prisão interior. Sentimo-nos tão fragilizados que o futuro se mostra incerto – como de fato o é – mas terrível e pior do que o presente.

Mas quando falamos disso, dividimos esse sentimento com outros, aproximando-nos deles e de nós mesmos. Ao falarmos dele, permitimos que nosso futuro se liberte das sombras que nossa dor presente projeta sobre ele.

Buscar uma ajuda profissional é permitir-se ser ouvido e ouvir-se. É permitir-se lidar com esses sentimentos e desejos acompanhado e não mais de forma solitária.

O Núcleo de Luto do Viver, que é o braço social do ESIPP trabalha com esse tema e todos aqueles que envolvem a difícil lida com a morte. Nele, nos propomos a falar, pensar e buscar caminhos para re-significar vidas que se mostram frágeis e incertas. E assim, nos questionamos: como falar de algo que está tão dolorosamente dentro de nós?

 

Autor: Núcleo de Luto do VIVER – Angélica Sonnes, Caroline Farias (coordenadora), Cristina Baldissera, Cristiane Farias, Lunara Martins, Mariani Malinowski, Marília Altomare, Renata Teixeira, Vanessa Resende – membros associados do ESIPP.