QUEM FOI SÁNDOR FERENCZI

Sándor Ferenczi nasceu em 1873, na Hungria, em uma família de intelectuais judeus poloneses. Seus pais, dessa forma, puderam proporcionar uma atmosfera em que Ferenczi, desde cedo, tivesse contato com pensadores e artistas da época, sendo incentivado a exercer pensamento crítico e autônomo.

Médico neurologista de formação, teve seus primeiros contatos com a psicanálise através de Freud, tornando-se, além de amigo, um de seus principais discípulos e colaboradores.

Deu início à sua obra ao integrar o seleto grupo que ajudou a alavancar a psicanálise no início do século XX. A partir de então, perpetuou seu nome por ousar com questionamentos teóricos e técnicos não pensados até aquele momento, como, por exemplo, o lugar do analista, o espaço analítico, a importância dos vínculos e da relação mãe-bebê, etc.

Ferenczi tem reconhecida importância no meio psicanalítico, destacando-se, principalmente, por sua originalidade na abordagem de novos temas para sua época, e que até hoje são de fundamental relevância para teórica e prática da psicanálise.

Autora: Cristina Baldissera, membro associado do ESIPP.