QUEM FOI HEINZ KOHUT

Criador da escola psicanalítica da Psicologia do Self, médico psiquiatra e psicanalista, Heinz Kohut nasceu no ano de 1913 em Viena, filho único de uma família judia. Com a ocupação dos nazistas na Áustria, mudou-se para Chicago, nos Estados Unidos, em 1939, atuando como professor de metapsicologia freudiana na universidade desta cidade. Lá, casou-se e teve um filho. Publicou a maior parte de seus estudos na década de 1970 e morreu em 1981, aos 68 anos, vítima de leucemia.

O principal conceito trabalhado por Kohut é a ideia de self, que entende como sendo constituinte básico do aparelho psíquico. Tem o self como agente ativo, com um papel funcional e de origem relacional. Kohut traz a compreensão de que antes de haver relação do bebê com outras pessoas inteiras, o bebê se relaciona com “self-objetos”, pois essas outras pessoas, da perspectiva do bebê, ainda não são diferenciadas de si. Os self-objetos darão senso de coesão, constância e elasticidade para o indivíduo, o qual, futuramente, com a internalização das relações do self-objeto (internalização transmutadora, segundo Kohut) poderá realizar essas funções por conta própria. A busca do sujeito, então, não seria a redução da tensão, como colocado por Freud, mas sim, os relacionamentos com os outros.

Kohut buscou mostrar que somente o modelo clássico das pulsões de Freud não vinha dando conta de explicar o funcionamento do sujeito e a técnica psicanalítica, principalmente em relação a alguns tipos de pacientes. Focou seus trabalhos e estudos com personalidades narcisistas e, através da observação na sua prática clínica, afirmava a necessidade de novas complementações para aprimorar o entendimento desses casos. Apesar das críticas recebidas, as formulações apresentadas por Kohut entraram na corrente predominante da literatura psicanalítica, levando uma linguagem da experiência humana e subjetiva, realçando a importância da empatia e da aceitação, especialmente na transferência e contratransferência no processo analítico.

Autoras: Cristina Generalli Baldissera e Letícia W. Franco Martins, membros associados do ESIPP.