QUEM FOI ANDRÉ GREEN

André Green foi um importante pensador contemporâneo da teoria psicanalítica. Nasceu no Cairo, Egito, em 1927, onde viveu até seus 19 anos. Quando contava 2 anos de idade, sua mãe entrou em depressão após a morte da irmã, fato que posteriormente o levou ao famoso conceito do complexo da mãe morta. Perdeu seu pai aos 14 anos, deixando uma marca que seria revivida anos mais tarde com seu analista, Maurice Bouvet. Desde pequeno se interessava pela França, onde posteriormente pôde construir sua jornada na psicanálise.

Famoso por sua inteligência, inovação e curiosidade, foi capaz de aprofundar e tecer costuras entre os textos freudianos, cultura e outras áreas da ciência. Sua obra é diversa e original, sendo J. Lacan, D.Winnicott e M. Klein autores de seus estudos, porém foi em Freud que aprofundou-se e de quem partiu para elaborar alguns conceitos imprescindíveis na clínica atual de casos limítrofes, tais como: complexo da mãe morta, narcisismo de vida e narcisismo de morte, alucinação negativa, funções objetalizantes e desobjetalizantes, entre outros.

Seu olhar na psicanálise foi aberto e instigante, proporcionando-nos sua rica obra e um legado para futuros psicanalistas.

Autora: Luana Francisco, membro associado do ESIPP.