139 ANOS DE MELANIE KLEIN

A menina Melanie Reizes nascia há 139 anos, em 30 de março de 1882, época em que seus pais Moriz Reizes e Libussa Deutsch haviam se mudado para Viena, em busca de melhores condições financeiras para família. Melanie foi crescendo, admirando a coragem, inteligência e determinação do pai; e a beleza e intelecto da mãe, que prezava pelo estudo e conhecimento.

A pequena Melanie era amada e admirada, sua beleza encantava. Ouvia que teria um bom casamento em função disso, mas a menina, curiosa e obstinada, queria estudar medicina como o pai. Acabou tendo que abandonar seus estudos quando noivou aos 17 anos. Se casou com Arthur Klein, amigo do seu irmão Emanuel, quatro anos depois. Tornou-se a Sra. Klein e teve três filhos; porém, não sentia-se feliz no casamento, bem como teve períodos de depressão pós parto.

Sua vida foi marcada por perdas, luto e períodos de profunda melancolia. Perdeu a irmã Sidonie ainda na infância. O pai, na adolescência. O irmão Emanuel faleceu próximo ao seu casamento. Sua mãe morreu quando o filho mais novo estava com 4 meses. Posteriormente, perdeu seu filho Hans e seu analista e entusiasta Karl Abraham.
Junto de Abraham, Melanie Klein contou com outros dois grandes apoiadores: Ferenczi e Ernest Jones, que viram nela uma notável capacidade para desenvolver a psicanálise de crianças. Seu interesse pela psicanálise se deu quando teve contato com textos de Freud, em especial “Sobre os sonhos” (1901), quando soube que psicanálise era seu grande interesse de estudo.

A partir daí, sua ambição foi se transformando em produção e generosidade. Melanie Klein trouxe novas perspectivas para a psicanálise de crianças bem como de adultos. Seus conceitos foram sendo desenvolvidos – e também criticados: M. K. sempre teve dúvidas de como seriam aceitos pela sociedade. Entretanto, não lhe faltou coragem para desbravar o mundo interno, as ansiedades e as defesas primitivas, nem para descrever de forma profunda as posições esquizo-paranóide e depressiva, assim como o conceito de identificação projetiva. Estes são alguns dos seus importantes apontamentos que iluminaram e iluminam a técnica analítica.

Melanie Klein foi uma mulher admirável pela sua coragem, inteligência e resiliência.
Autora: Letícia Gravina, Membro Associado do ESIPP.